Rede social transforma like em doação para causas sociais

O app Joyz funciona como um “Instagram filantrópico” e prova que é possível fazer a  diferença sem colocar a mão no bolso

O Joyz é uma rede social do bem que nasceu com o objetivo de ajudar causas e ONGs, transformando um click em uma doação. Fundado no final de 2016, em Porto Alegre, o “Instagram filantrópico” surgiu do desejo de seus sócios Pedro Goidanich, Raul Amoretti, um grupo de investidores e, posteriormente, Gabriel Khawali e Eduardo Salles, de fazerem algo com um propósito maior. De forma interativa e intuitiva, o usuário pode escolher para quem doará os seus “joyz”, moeda utilizada pela plataforma, que equivale a 10 centavos cada.

“O Joyz surge como uma forma de democratizar a filantropia no País. Trabalhamos com o sistema de micro doação ativa, onde o usuário doador escolhe qual causa ele quer ajudar, diferentemente dos outros processos que conhecemos, chamados de micro doação passiva, quando a empresa vende um produto e destina uma quantia ‘x’ para uma instituição previamente escolhida por ela”, explica Gabriel Khawali, sócio do Joyz.

Qualquer pessoa pode se cadastrar e fazer o bem. Ao instalar o aplicativo, disponível para celulares com sistema operacional Android ou iOS, o usuário doador recebe até 40 joyz de presente da plataforma, para doar para a(s) causa(s) que ele preferir. As opções de causas na plataforma vão desde arrecadação para o custeio de tratamentos médicos de crianças e adultos, passando por causas animais, até ONGs. Doar na plataforma é tão simples quanto dar um like em uma foto em qualquer outra rede social. Cada like equivale a um joyz.

Após o uso dos bônus iniciais, o doador pode adquirir novos joyz por dois métodos diferentes: Comprando no próprio aplicativo via paypal, boleto, cartão de crédito ou depósito bancário, ou participando de alguma campanha de interação com “empresas amigas”, que firmam parceria com o Joyz e entregam, junto com a veiculação de sua campanha um valor para a sociedade. Para os usuários que são causas, é necessário realizar a criação de um perfil gratuitamente, com informações e fotos com legendas. Como nas redes sociais tradicionais, o perfil deve ser atualizado com frequência, criando vínculos entre os usuários doadores e causas.

Essa estratégia serve também como política anti fraudes dentro do app. Quando o usuário doador dá o seu like em uma foto, ele não consegue voltar nesse mesmo post e dar um segundo like. Por isso, é importante que a causa atualize sempre que possível o seu perfil com novas imagens, aumentando o engajamento e a possibilidade de arrecadação. Além dos likes, é possível deixar depoimentos e comentários. Para resgatar o valor arrecadado, basta solicitar a transferência dos joyz, convertidos em reais, para a conta cadastrada. O serviço é livre de taxas, diferentemente das plataformas tradicionais de crowdfunding.

Hoje, o aplicativo conta com quase 300 mil usuários, entre causas e doadores, e uma média de 500 a 800 novos perfis por dia. Existem causas que já levantaram mais de R$ 100 mil na plataforma. Com foco nacional, a maior parte das causas cadastradas no Joyz são das regiões Sudeste e Sul. São Paulo é o estado com o maior número de campanhas registradas (23,3%), seguido por Rio de Janeiro (15,5%) e Rio Grande do Sul (13,1%). No entanto, causas dos Estados Unidos (2) Colômbia, Itália, e Quênia (1) também podem ser encontradas no app.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *