Ciência e tecnologia são aliados na era da integridade

separator
Compartilhar

Lar de milhões de espécies de seres vivos, incluindo os humanos, a Terra é palco de ininterrupta transformação há bilhões de anos. Após alcançar a chamada era do conhecimento e da informação, a espécie humana, como “homo sapiens”, começa a perceber que apesar de todo conhecimento e avanços tecnológicos e científicos, está adoecendo com excesso de informações, pois já não se reconhece como “Ser”.

Ao tomar “consciência” deste fato, o homem inicia sua transição para uma nova etapa na evolução humana, a do “homo conscious”, o humano consciente (em latim), ingressando na “Era da Integridade”, que diferentemente de outros momentos da história, não é mais uma era definida por fatos temporais externos ao Ser, mas sim por uma escolha consciente do Ser, individual e coletivo.

Essas são constatações do escritor paulista Luiz Fernando Lucasno livro “A ERA DA INTEGRIDADE – Homo Conscious – A próxima evolução” (Gente Editora). Segundo ele, o ser humano, pela primeira vez na história, está conscientemente retomando controle do próprio destino, e a sociedade encontrou na integridade o caminho contra a escassez, a desigualdade e a miséria.

O futuro da humanidade está interligado ao movimento de autoconhecimento, que leva o homem à sanidade da própria consciência e ao entendimento que é o único responsável pela mudança que deseja ver no mundo. É motivado a buscar maneiras para fazer as transformações necessárias para criar uma nova realidade mundial.

A tecnologia será uma ponte para o ser humano se conhecer mais, pois vai servir de suporte, de meio, e não fim. Muitas pessoas têm medo da chamada Inteligência Artificial, acreditando que ela irá dominar os seres humanos, os fazendo menores. Mas, na realidade, a tecnologia tem o papel de vir tão somente nos auxiliar a sermos humanos de fato.

Mesmo a tecnologia agregando em seu desenvolvimento a eliminação de empregos, também abre a possibilidade para que as pessoas tenham outras oportunidades e mais tempo para se dedicar ao seu crescimento, à sua capacidade criativa e a sua própria evolução.

Essa nova consciência, na era da integridade, já pode ser observada em locais no mundo onde as pessoas têm mais qualidade de vida e se mostram mais felizes. São locais com características comuns bem evidentes, como a conexão e o respeito à natureza, a alimentação saudável, práticas de gerenciamento de stress e conexão espiritual, como yoga, meditação e também práticas religiosas, além relação de confiança em si próprias, o que as tira dos medos de escassez e dependência.

O autor propõe que o caminho para a era da integridade e do homem consciente, já estão aí, não precisam ser inventados. E convida a refletir sobre o impacto da consciência e da cultura de valores para se encontrar propósito, paz espiritual e abundância na vida pessoal, profissional e na sociedade.