O Pix está mostrando porque os bancos estão perdendo para as fintechs

separator
Compartilhar

Por Jader Rossetto

Pra quem não me conhece, sou publicitário há mais de 20 anos e ajudei a criar alguns dos cases de marketing mais relevantes do país como Itaú Digital, Netshoes e as Techas da cerveja Proibida.

Na última década, mergulhei fundo no mundo de startups e fintechs. Fui sócio e ajudei a construir algumas das empresas mais valiosas da nova economia como Nubank , XP Investimentos, Genial, Acordo Certo e outras.

O que todas essas empresas tem em comum? Muita coragem de mudar o mundo e poder de execução para isso. Todas têm empreendedores que lutam para mudar o status quo. Repensar, recriar, refazer setores inteiros. Derrubar muros e colocar luz e tecnologia em lugares escuros e burocráticos. Dar acesso e novas possiblidades para setores como finanças, saúde, vestuário, etc.

Todo segmento e toda empresa está passando por transformações. A pandemia só acelerou isso. Então não é sobre o novo normal. Nem o velho normal. É sobre ser anormal. Sempre foram os anormais que fizeram as coisas diferentes. Que levaram o mundo para a frente. Quem pensa igual, ou gosta do normal, não muda nada.

E por que essas empresas tem crescimento exponencial? Porque as pessoas se identificam com seus propósito e seus produtos. Ninguém aguenta mais os “bancões” e suas taxas abusivas, sua falta de respeito. Por isso o Nubank está gigante e vai crescer cada vez mais, porque coloca o consumidor no centro, porque pensa antes no que as pessoas merecem, suas necessidades.

Usando tecnologia e dados, o Nubank e outras fintechs estão devolvendo a dignidade para os brasileiros, que antes tinham seus sonhos esmagados pelos grandes bancos. O Nubank é uma marca que todos adoram e entendem ser inovadora.

E o maior exemplo disso é que, agora, com a chegada do Pix, o Nubank é um dos mais procurados pelos brasileiros.

Enquanto isso, o Santander, por exemplo, precisa oferecer um milhão de reais numa promoção e gastar uma fortuna em marketing para atrair pessoas para seu Pix. E ainda assim, ser um dos que está tendo menos chaves dessa nova tecnologia.

O que esses bancos da velha economia insistem em não entender é que o povo acordou e agora tem opções. E não vai mais voltar para a ditadura da porta giratória.

Resta a eles criarem serviços mais eficientes e mais baratos, ou ver seus lucros obscenos migrarem para empresas mais inteligentes e voltadas 100% para os clientes.  A revolução das startups e fintechs chegou para ficar. E todos nós temos que ajudar a consolidar a sua vitória.

Jader Rossetto é CCO e fundador da agência Reborn Yourself, mentor do reality show Batalha das Startups, na Rercord News, e parceiro associado das startups Acordo Certo, Magnopus, Genial Investimentos, Alstra e FarmaUsa.

Criativo premiado com mais de 28 Cannes Lions, o publicitário esteve a frente das agências DM9DDB, Fischer América e Havas, sendo o responsável por campanhas que fizeram história na publicidade, como Itaú Digital, Super 15 Telefônica, Cerveja Proibida, Xp, Nubank, Honda, Ambev, Heineken, Nova Schin, Hypera e outros.