Seis lições que aprendi com a empresa mais inovadora do mundo de 2019

separator
Compartilhar
Foto: Pixabay

Estratégia para entender o usuário – Foto: Pixabay

Por Juliana Bernardo

Recentemente, a Fast Company, empresa de mídia que tem como foco mostrar equipes e indivíduos que estão inventando o futuro e reinventando os negócios, divulgou a lista das 50 empresas mais inovadoras do mundo. Muito se falou sobre elas de forma genérica, mas, pesquisando a fundo sobre o primeiro lugar, divido com você as lições mais valiosas que aprendi nesse estudo.

A queridinha e campeã mundial da inovação Meituan Dianping é uma empresa chinesa de serviços entregues por meio de tecnologia. Fundada em 2003, a companhia teve, nada mais nada menos, do que um volume bruto de transações totais de US $ 33,8 bilhões só no primeiro semestre de 2018 e 400 milhões de usuários/transações e 5,8 milhões de comerciantes on-line ativos nas plataformas até o final de 2018 e está avaliada hoje em $ 30 bilhões de dólares.

Seus aplicativos super transacionais conectam os consumidores a negócios locais de comida, ingressos para o cinema, reservas em hotéis, compartilhamento de bicicletas e outros serviços.

1- Numa era em que ainda vemos muitas startups e empresas atuando em um único problema ou serviço, tem gente pensando grande e entendendo que DADOS são o novo ouro da economia

Com toda orientação numa super cadeia de dados, a Meituan se beneficia e usa como estratégia do negócio para entender o usuário e personalizar serviços e afins. De certa forma, ela tem poder sobre os hábitos e tempo de consumo dos usuários, podendo recomendar outras coisas das quais eles gostariam e possivelmente irão consumir numa próxima oportunidade, ou seja, possui tecnologia de sobra para “entender seus clientes”.

Diferente de muitas empresas ou grupos de empresas que não integram seus negócios e serviços e os tratam como produtos apartados, isso possibilita a Meituan trabalhar de forma integrada aos demais negócios da empresa.

2- Pensar fora da caixa já está ultrapassado; o negócio agora é pensar “dentro e fora de casa”

Um ponto bem interessante ainda ligado aos dados é que, ao alavancar a tecnologia das suas plataformas investindo forte em Inteligência artificial e em inovação na sua estratégia de produto, a Meituan também faz uso desses dados para ajudar na digitalização e na expansão das empresas locais, ajudando-as a encontrar novos espaços para restaurantes ou lojas.

3- Uma missão clara faz toda a diferença para a atuação focada dos colaboradores

Com toda simplicidade talvez não esperada de uma cultura tão tecnológica como a Chinesa, a Meituan comunica sua visão: “Ajudamos as pessoas a comer e viver melhor”, simples e direto assim, e comenta que, se tudo que for feito e pensado seguir essa lógica nos seus produtos, serviços e cultura, estão no caminho certo, inclusive porque conseguem medir através de suas próprias outras frentes de negócio, como a de pesquisas e afins, se estão atingindo os objetivos junto à população.

4- A eficiência deve ser percorrida todos os dias, sem mimimi!

Isso eles fazem com o pé nas costas, exemplo disso é como usam o mote da eficiência para impulsionar a inovação. Um dos seus serviços, o sistema de Despacho Inteligente Smart Dispatch, que é um programa no qual seus em média 600.000 motociclistas entregam os milhões de pedidos de alimentos que a plataforma recebe diariamente, foi aprimorado na tecnologia e agora calcula, em média, 2,9 bilhões de planos de rota por hora para otimizar a capacidade de um motociclista entregar até 10 pedidos de uma vez no menor tempo e distância. Desde o lançamento desse Smart Dispatch, a redução no tempo médio de entrega baixou em mais de 30% aumentando sua receita.

5- Ser multipotencial de visão holística é mais importante do que ser especialista

O CEO de toda essa história e empresa é o Wang Xing, de 46 anos e estrutura mignon, esse Bacharel em Engenharia Eletrônica que, antes de se tornar o CEO da Meituan, tinha vários outros títulos como o de fundador da rede social chinesa Xiaonei (agora Renren) e da primeira plataforma de microblogging da China, a Fanfou, fundada dois anos antes do Sina Weibo.

Além disso, como diz sua biografia, ele possui três características principais que são muito interessantes. A primeira é a curiosidade eterna sobre o mundo. As postagens de Wang expressam sua ampla gama de interesses, como arte e literatura, que vão além de temas mais utilitários. Em segundo lugar, sempre foi um pensador independente e, em terceiro lugar, focou com afinco real seu entendimento em novas tecnologias e internet durante toda a sua carreira.

6- O poder está no B2C, business to commerce, negócio para CPF e não para CNPJ!

Se pegarmos a lista das 50 empresas mais inovadoras, fica claro o direcionamento de qualquer produto ou serviço extremamente voltado aos esforços para atender o indivíduo. Mesmo numa solução B2B (empresa para empresa), não funciona mais atender quem assina o cheque e sim quem se lambuza com o produto e serviço final.

Para fechar, uma das frases do CEO deixa o sucesso claro de forma simples: “A demanda do cliente é o insumo mais importante de todas as estratégias e ações da empresa; ajudando os clientes a resolver problemas e criar valor, a empresa tem motivos para existir”.

Juliana Bernardo assina a coluna “Inovação no Mundo Real”, no Inova360, parceiro do portal R7. Formada em Administração de Empresas, com especialização em Comunicação, Marketing e TI pela USP, ela é Líder em Gestão de Inovação no BWG Group Brasil.

[email protected]

https://www.linkedin.com/in/juliana-bernardo